Alunos do Colégio Almeida Júnior são classificados para a segunda fase da Mostra Brasileira de Foguetes

Os alunos do terceiro ano do Ensino Médio do Colégio Almeida Júnior participaram da 12ª Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG). Devido ao excelente resultado obtido, eles foram convidados para participar da segunda fase, denominada Jornada de Foguetes, que acontece na cidade de Barra do Piraí, Rio de Janeiro, entre outubro e novembro deste ano. Essa foi a primeira vez que os alunos do colégio participaram da mostra, e o Almeida Júnior foi a única instituição de ensino de Itu a se classificar para a próxima fase da MOBFOG.

De acordo com o professor de Física, Marcus Vinícius Gessoli os alunos desenvolveram foguetes com garrafas pet, seguindo o regulamento e todo o passo a passo da prova. “O empenho dos alunos na montagem, execução e lançamento dos foguetes foi surpreendente, visto que foi a primeira vez que o colégio participou dessa mostra, diante de um regulamento rigoroso e inúmeras regras. Além do excelente resultado, nos classificamos para a próxima fase”, destaca o professor de física.

Além da dedicação dos alunos, esse resultado também se deve ao excelente trabalho desenvolvido pelo professor Marcus Vinícius, frente à disciplina de Física, que incentivou e apoiou os alunos para participarem da MOBFOG e também das olimpíadas de Física e de Astronomia e Astronáutica.

A MOBFOG é inteiramente experimental e consiste em construir e lançar, obliquamente, foguetes, a partir de uma base de lançamento, o mais distante possível.

Para a direção, a participação dos alunos em olimpíadas e os resultados obtidos são motivos de grande satisfação e orgulho, e comprova que o trabalho desenvolvido na instituição, aliada à disciplina em sala de aula e nos estudos, refletem nitidamente os ótimos resultados obtidos pelos alunos do Colégio Almeida Júnior.

OBA – O aluno Rafael Godoi Cutait foi selecionado para participar do processo seletivo que vai escolher a equipe brasileira para representar o país na etapa internacional da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). Esse convite surgiu graças ao desempenho de Rafael, que obteve nota acima da média na prova deste ano da OBA.

A Olimpíada é organizada anualmente pela Sociedade Astronômica (SAB) e pela Agência Espacial Brasileira (AEB), com recursos principalmente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, órgão vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, MCTIC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *