Colégio Almeida Júnior institui o programa “Educador do Mês” como forma de reconhecimento e gratidão aos seus professores

O Colégio Almeida Júnior está implementando neste ano de 2019, o programa “Educador do Mês”, uma homenagem mensal aos seus professores, que são considerados pela instituição o maior patrimônio da Escola. O objetivo desta iniciativa é prestar reconhecimento e gratidão de todos a estes imprescindíveis profissionais, que se dedicam a oferecer aos alunos o melhor Ensino e também transmitir valores éticos, morais e de convivência, para que os jovens tenham, além do conhecimento pedagógico, uma base sólida para se desenvolverem como cidadãos, dando-lhes condições de vencer os desafios na vida e fazer a diferença em suas carreiras.

O homenageado da primeira edição do programa é o professor Luís Roberto da Rocha de Francisco, que além de ser o educador trabalhando há mais tempo na instituição, é um dos profissionais mais competentes e respeitados em sua área de atuação.

Graduado no ano de 1996 em história pela UNISO (Universidade de Sorocaba) e Mestre em História Social pela PUC (Pontifícia Universidade Católica) em 2002, Luís Roberto começou a ministrar aulas em 1987, como professor de Música. No ensino fundamental e médio ingressou em 1997. Sua carreira como docente está muito ligada ao Colégio, já que ele foi um dos professores da fase inaugural do Almeida Júnior, em 2001, primeiro ano de funcionamento da escola. “O primeiro dia de aula foi a 5 de fevereiro daquele ano”, lembra Luís Roberto.

Hoje, além das aulas de História e Patrimônio Cultural para a turma do Ensino Fundamental II no Colégio, o professor Luís Roberto também leciona para turmas de Ensino Superior no CEUNSP – Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio e vê que “a educação é um processo de transformação intelectual, mas também de interiorização dos valores da vida. Esse processo parece ter sucesso quando o professor é capaz de estimular os alunos a se encantar com a cultura e descobrir o processo histórico, especificamente no caso da disciplina em que atuo. A principal atitude para a vida é assumir responsabilidade com o mundo, enxergando-se como cidadão”.

Sobre as experiências que vivenciou no campo da Educação, o professor Luís Roberto afirma que “certamente no Colégio Almeida Júnior, os estudos de meio têm sido extraordinários. É um processo de vivência, uma experiência sensível e profunda, que media várias etapas do conhecimento e do amadurecimento dos estudantes. Ninguém volta para casa indiferente. É muito significativo”.

Como profissional que está sempre à frente do seu tempo, utilizando a enorme vivência para projetar o futuro, o professor Luís Roberto de Francisco destaca que “a disciplina de Patrimônio Cultural é um prazeroso desafio, que sempre nos estimula a inovar, a vencer barreiras. Gostaria de participar de projeto de disponibilização digital de informações sobre bens culturais e estratégias de ensino-aprendizagem com outras escolas”.  Nesse sentido, o professor, que já criou o roteiro para a disciplina de Patrimônio Cultural, teve também a oportunidade de criar roteiros e tarefas nos Estudos do Meio para as cidades do ciclo do ouro em Minas Gerais, o que, segundo ele, “proporcionou enorme prazer profissional que só o Almeida Júnior consegue oferecer”.

Sobre os pontos positivos do Colégio Almeida Júnior o professor Luís Roberto é enfático e fala com entusiasmo: “são vários, mas seria importante destacar a liberdade de trabalho e uso do tempo com projetos de cidadania, que nos permitem despertar o cidadão por trás do aluno. O destaque para o Patrimônio Cultural em diálogo com outras disciplinas faz do jovem educando um sujeito histórico consciente de seu tempo e espaço, alguém competente para as questões da sociedade futura”, conclui o Educador do Mês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *