Colégio

 

 

Despertando o interesse em aprender


No Colégio Almeida Júnior o estudante é sujeito ativo no seu processo de desenvolvimento e aprendizagem. Em cada aula, trabalho ou projeto realizado cada um é valorizado em suas potencialidades, diferenças e saberes e por isso sentem-se tão à vontade e felizes que costumam até dizer “aqui no Almeida nos sentimos em casa”.

Formar jovens críticos, autônomos, criativos, solidários e auto-motivados não é tarefa simples, e transformar em ações coerentes esse discurso educacional é a nossa meta. Promover e incentivar situações didáticas que permitam ao estudante construir seu conhecimento a partir de atitudes investigativas e reflexivas a respeito do meio natural e cultural em que vive, para que assim possa efetivamente colocá-los a seu serviço é uma das formas encontradas pelo Almeida Júnior para transformar essa meta em realidade. Bons exemplos são os resultados que se vêm obtendo a partir de trabalhos realizados, pelo “Contadores de Estrelas” (grupo de contadores de histórias), a análise de combustíveis dos postos de Itu, além de outros tantos.

A abordagem dos conteúdos é permeada por uma visão multidisciplinar, onde cada disciplina estabelece diálogo com as demais, assim como com o repertório cultural de cada aluno e do mundo em que ele vive. Um outro exemplo prático é o que vivenciam nossos alunos do 8ºano ao estudarem Inconfidência Mineira, Absolutismo, Revolução Francesa, Iluminismo e vão até Minas Gerais. Cada atividade desenvolvida, em cada série ou segmento é planejada por uma equipe em constante trabalho de formação, para atender às necessidades educacionais exigidas pelos desafios do mundo contemporâneo, sem perder de vista que, antes de tudo, nosso estudante é um ser humano e por isso, além do intelecto, tem emoções e sentimentos, histórias e necessidades distintas.

A educação pode ser uma coisa simples se a mesma for desenvolvida com seriedade, sinceridade e, principalmente, transparência. A frase “a escola é uma extensão da casa do aluno”, é verdadeira se a família e a escola se completarem. Procuramos manter sempre a coerência do nosso discurso com aquilo que fazemos. Sabemos o quanto isso é difícil, mas não mais o quanto é gratificante.
 

Professor Pascale

 


Voltar a topo