Qual o momento certo para fazer transição de carreira?

Por Ana Lisboa – Master Coach de Carreira
www.analisboarh.com.br


            Aliar vida e carreira é um grande desafio, porque quando tudo parece estar indo muito bem, acontece alguma intercorrência interrompe esse ciclo de prosperidade.

            Mas se a vida é feita de ciclos, a carreira também.

            Nesses mais de quinze anos ajudando profissionais a encontrarem harmonia entre vida e carreira, procurei entender como os ciclos podem agir sobre a vida das pessoas e mais, como entendê-los e tirar melhor proveito desse momento. Nos meus estudos encontrei a Teoria dos Setênios, que é parte da Antroposofia e foi idealizada pelo filósofo austríaco Hudolf Steiner, como uma forma de ler e interpretar a vida.

            Segundo a Teoria dos Setênios, é necessário entender o mundo interno para compreender o mundo externo. Para te explicar o que isso tem a ver com carreira, vou me fixar nos setênios que envolvem a maioria dos profissionais, ou seja a partir dos 21 anos.

            Dos 21 aos 28 anos, é a fase da descoberta do “eu independente” e dos talentos. É a fase em que a maioria dos jovens profissionais está se colocando à prova profissionalmente, 100% voltados ao sucesso e performance, aceitando propostas desafiadoras, viajando a trabalho, cumprindo horas extras com o prazer de sentir-se único para a empresa e para seu cargo.

            Dos 28 aos 35 anos, depois de vivências intensas na fase anterior, os profissionais encontram-se mais reflexivos acerca de suas próprias escolhas, levando-se em conta que a energia da jovialidade não se faz mais tão presente e a maturidade total ainda não foi alcançada. É a fase de olhar a vida pessoal e profissional de frente e fazer escolhas importantes. A maioria das pessoas busca respostas relacionadas à espiritualidade nessa fase.

            Dos 35 aos 42 anos, todas as reflexões, vivências e aprendizados anteriores passam a se concretizar em escolhas que refletem no estilo de vida, com muito mais maturidade e novas ideias. É quando alguns profissionais passam a pensar em uma segunda carreira, ou uma transição gradual, pensando em uma vida mais prazerosa no futuro.

            Dos 42 aos 49 anos, que é a fase da expansão, o medo do envelhecimento e as limitações naturais impostas pela vida requerem doses extras de auto-estima, o que pode ser conseguido através de novos desafios na carreira.

            O setênio seguinte, que vai até os 56 anos, produz sábias pausas para ouvir o mundo ao redor, corrigir a rota e retomar apenas o que é importante, ao passo que a partir dos 56 anos, o mundo torna-se estranhamente novo, como se uma nova vida precisasse ser iniciada, com novos aprendizados e experiências – a tecnologia nos mostra isso de forma muito clara.

            Então que tal 3 exercícios para sua transição de carreira, independente de que fase da vida você se encontra?

  1. Faça um exame de consciência e entenda realmente quais são suas ambições do momento: trabalhar mais, trabalhar menos, ter mais qualidade de vida, ou focar e dar um gás total na carreira?
  2. Fique em paz se seus círculos de relacionamento mudaram e ainda: aproveite ao máximo os novos amigos e suas maneiras de ver a vida.
  3. Que tal eliminar amarras materiais em nome de uma vida com mais sentido?
    Talvez a casa esteja ficando grande demais ou você entenda que têm obrigações demais ao longo do dia, ou contas para pagar que não se refletem em uma vida mais confortável. Daqui para frente menos vai ser mais!

              E finalmente: olhe-se com atenção. As respostas estão dentro de você e sempre é tempo de recomeçar.

            Saúde e sucesso para você!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *