Futebol e Finanças

Por Marcelo Fioravante – Consultor Financeiro
marcelo.fioravante.consultoria@gmail.com


Você gosta de futebol? Você acompanha o campeonato brasileiro de futebol? Sabia que há muita estratégia de campeonatos de pontos corridos que são similares a planejamento financeiro?

Antes de mais nada, cabe a explicação sobre o esporte bretão. Desde 2003 o campeonato de futebol aqui do Brasil é disputado no sistema de pontos corridos, ou seja, todos os times jogam contra todos, uma vez dentro de seu estádio, outra vez no estádio do adversário; vitória contabiliza ao time três pontos, empate um ponto e a derrota não credita nenhum ponto à conta da equipe. No final do campeonato, quem tem mais pontos é o campeão: simples assim.

De 2003 para cá, já ocorreram 17 campeonatos nessa modalidade. Em média, o campeão registrou 67,54% de aproveitamento, com desvio padrão de 4,76% (ou seja, equipes podem se tornam campeãs com aproveitamento entre 62,78% e 72,30%). Como as regras amam exceções, 5 campeões tiveram seus números fora da média esperada, ou seja, a amostra de 17 campeonatos talvez seja pequena para validar o estudo; mas é um grande e precioso indicativo.

O bom técnico, se for estrategista, já sabe que precisa de 67,54% de aproveitamento para ser campeão, ou seja, precisa de 77 pontos para postular-se ao título. Reunir-se-á com sua comissão técnica e irá detalhar, antecipadamente, quais jogos são possíveis de serem vencidos, quais irá empatar, e quais terá dificuldade em pontuar: o mapa está traçado. Além disso, o técnico deverá montar uma planilha detalhada listando quais são os pontos fortes e fracos de sua equipe, bem como onde estão ameaças ao êxito da operação, e oportunidades para melhorar sua performance Feito isso, mãos à obra, e olhar atento para corrigir rotas em busca da meta.

Em finanças, o cenário é exatamente o mesmo, mudando apenas as nomenclaturas. Ser campeão significa obter lucro e geração de valor. Saber exatamente quanto se precisa faturar para cobrir seus custos fixos é imprescindível para que a empresa não adoeça financeiramente. Ter a real dimensão de seus pontos fortes e fracos faz com que o empresário busque os recursos certos no mercado para fortalecer sua equipe em busca do objetivo. Começar um ano sem as metas de faturamento e lucro previamente definidas não é uma opção para os dias de competitividade acirrada e mercado hostil; iniciar o período sem uma estimativa de fluxo de caixa é tão amador quanto não saber quem será o adversário da próxima rodada do campeonato. Definição de metas, análise da estrutura organizacional e ferramentas de controle financeiro são o mínimo para uma empresa ser considerada competitiva.

Pois bem, fica o convite: qual a classificação que você deseja para seu time no final desse campeonato. Você buscará o título ou ficará a margem do vento e correrá o risco de ser rebaixado para a série B?

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *